quinta-feira, 23 de junho de 2011

Anos oitenta - Alguns resquícios



Seu vestido vermelho brilhante com um decote generoso oferecia uma panorâmica no mínimo curiosa. Talvez uma planície árida e pedregosa. Imaginei-a nua, visualizei sua tetas murchas com os bicos apontando para os pés. Sacudi a cabeça e olhei para o céu querendo apagar a estúpida imaginação.
-Tens fogo? Me perguntou.
-Não, eu não fumo.
O cigarro tem isso de bom, apesar do câncer, ele sociabiliza pessoas. Meu ônibus chegou eu entrei e sentei num banco ao lado da janela, ela ainda estava ali no abrigo, abordando outro cara. O carro arrancou, olhei para traz e vi a silhueta do enorme estádio da Beira Rio, agora emoldurando a franzina e singular figura de mulher.  Foi a última vez que vi em pessoa “Terezinha Morango”
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...